VEREADORES DA OPOSIÇÃO SOLICITARAM REAJUSTE DO SALÁRIO E AUMENTO NO NÚMERO DE VAGAS PARA O FUNCIONALISMO MUNICIPAL.


A exatamente um ano atrás os vereadores Nicanor Frota Angelim Filho, Francisco Ézio da Silva, Maria Zenaide de Araújo, Pedro Fontenele de Sousa, João José dos Santos e Milton Guilherme Veras, visando a defasagem salarial, solicitaram aumento do salário dos servidores municipais e o acréscimo de 400 vagas no concurso, passando assim de 816 para 1.200 o número de oferta de empregos.


Ainda no Projeto de Indicação nº 47/2011 AQUI enviado ao então prefeito Esmerino Arruda e o vice Hélio Fontenele, os vereadores dos partidos de oposição, solicitaram a contratação de pelo menos 40 médicos e Enfermeiros, tendo em vista a grande carência destes profissionais na área de saúde. No mesmo documento, os vereadores solicitaram também ao prefeito e vice-prefeito Esmerino e Hélio, respectivamente, que fosse enviado à aquela Casa, um Projeto de Lei concedendo aumento linear de 5 % (cinco por cento) a todos o funcionários municipais.

Na mesma oportunidade os vereadores solicitaram a Esmerino e Hélio Fontenele, que fosse enviado à Câmara de Vereadores um Projeto de Lei aumentando para 1.200 a quantidade de vagas oferecidas no concurso, já que no Projeto de Lei elaborado pela Prefeitura disponibilizava apenas 816 vagas.

No mês de outubro de 2011, o Ministério Público Estadual – MPE  impetrou Ação Civil Pública contra a Prefeitura Municipal de Granja solicitando a regularização da situação funcional dos contratados temporários da Prefeitura. Na oportunidade, o então Juiz de Direto de Granja Dr. William Sóstenes, considerando todos os contratados ilegais, deferiu Medida Liminar em favor do Ministério Público Estadual e concedeu o prazo de 6 meses, tempo suficiente para a Prefeitura regularizar a situação funcional de todos os contratados temporários.Passados mais disso sem que o concurso público tivesse sido realizado, o atual prefeito Hélio Fontenele determinou a realização de um Processo Seletivo onde centenas de pessoas se submeteram a entrevista, tendo sido selecionados 816 funcionários, número de vagas ofertadas pela Prefeitura.
Desta forma, mais de quatrocentos servidores municipais foram demitidos, o que não teria ocorrido se o prefeito tivesse atendido o Projeto de Indicação que lhe foi enviado pelos vereadores de oposição, no qual solicitava o aumento de 816 para 1.200 o número de vagas ofertadas.
O que mais está revoltando a população granjense é que no quadro funcional da Prefeitura, o prefeito Hélio Fontenele deixou permanecer dezenas e dezenas de funcionários públicos, que por apadrinhamento político, ganham seus salários sem trabalhar. Muitos deles nem em Granja residem. Moram em outras cidades. São estes os denominados funcionários fantasma.
Infelizmente isso ocorre na Granja!!


Fonte: Impacto Granja

Comentários

Postagens mais visitadas