A GRANJA DELA


A Vereadora Rosa Helena, criou a Granja dela, onde há geração de emprego e renda; educação de boa qualidade e saúde em alta. A Granja do povo é diferente, nada disso é real. Ora, com essa postura, ela está subestimando a inteligência e a capacidade de observação do povo granjense. Essa criação ideológica de ilusão social tem como finalidade, fazer com que o povo aceite passivamente, as condições em que vivem, sem pretender transformá-las. É público e notório, que a imprensa vem divulgando, indicadores sócio- econômicos vergonhosos que colocam o município de Granja, numa situação preocupante. Agora, a digníssima Vereadora não se reconhece mais na obra que criou por julgar-se superior a ela ou talvez com poder sobre ela. Não será com esse comportamento nocivo, que o povo a seguirá, pois os meios não justificam os fins. O leitor tem a oportunidade de comprovar tais informações, nos veículos de comunicação e posteriormente expressar sua avaliação. Assim, é hora de uma reflexão acerca destas informações, pois o que elas revelam é uma realidade triste para um povo que não precisa passar por isso.Ou tudo isso é produto de uma mente visionária, recheada de devaneios prosélitos da Vereadora?

Uma festa foi organizada com muito “zelo” e recheada de doses de muito “amor” ao povo e à Granja, pelo Prefeito, afirmou a Vereadora no seu programa de rádio, para comemorar os 157 anos de emancipação da mesma. Entretanto, esqueceram do povo que foi colocado à margem do sistema imposto por essa administração. Assim, os objetivos proclamados não foram os objetivos reais, daqueles que procuram a qualquer preço, manterem seus privilégios, na municipalidade.
Segundo a Vereadora aquela era a maneira correta, decente de comemorar o aniversário da terra que respeitam, todavia  decente seria aplicar corretamente e com transparência os recursos especificados na Lei de Diretrizes Orçamentárias do Município. Conforme a Vereadora, quem vem a Granja sai maravilhado. De quê?
Corrobora para o baixo índice do IDH três dimensões:
- Uma vida longa e saudável: expectativa de vida ao nascer.
- O acesso ao conhecimento: anos médios de estudo e anos esperados de escolaridade.
- Um padrão de vida decente: PIB (PPC) per capta; tais informações constam no relatório de desenvolvimento humano de 2010 do Programa das Nações Unidas para o desenvolvimento (PNUD). Portanto, falta de respeito não confirma o baixo IDH de nenhuma localidade. Sugiro à Vereadora informa-se melhor na literatura pertinente.
Falta de respeito é uma conduta reprovável por qualquer grupo social, assim, não deveria partir de agentes públicos voltados apenas para seus interesses.
 Quanto ao circuito das águas no Parazinho, foi um evento sem nenhum alarde, pois o povo não se ilude com resquícios do mesmo evento que foi realizado na Jijoca de Jericoacoara. O Vereador do Parazinho é atuante e não está acorrentado pela incapacidade de reação, por isso vem desempenhando um papel de grande relevância no cenário político municipal. O Vereador João Batista Pereira permanece alheio às questões sociais, preocupando-se apenas com temas irrelevantes. A sessão solene foi muito bem organizada pela D. Maria Ximenes e não há quem possa tirar o brilho daquele evento. Falar de valores morais e éticos indica a conduta ambígua da Vereadora, pois revela um comportamento patético da mesma. Não há postura uniforme nas questões sociais tratadas pela mesma na esfera municipal. A ânsia do poder alimenta o ego da Vereadora, que insiste em não se colocar a favor do povo.

fonte:http://parazinhoinfoco.blogspot.com/2011/11/vereadora-rosa-helena-criou-granja-dela.html

Comentários

Postagens mais visitadas